Thursday, November 04, 2010

RACISMO, PRECONCEITO E PODER

O que leva alguém a escrever uma mensagem na internet com ofensas a outras pessoas e incitação à violência? Agressividade, frases abusivas de adolescentes, jovens e adultos e o posicionamento de grupos radicais reacendeu a discussão sobre o racismo e o preconceito, que já vinha mobilizando entidades e autoridades no intuito de impedir a disseminação de agressões em sites de relacionamento.
Como pode haver reações desse nível em um país onde a miscigenação é a base da riqueza cultural? O preconceito se torna ainda mais absurdo quando se sabe que a intenção é   "filtrar" o ser humano, reduzindo qualquer poder de ação do semelhante através da força de um determinado grupo!
O racismo nada mais é do que uma manifestação primitiva na tentativa de sentir-se de alguma forma "superior". Baseia-se na impressão de que a supremacia , seja qual for, é uma garantia de sobrevivência. Determinado grupo hostiliza outro porque tem receio de contato fora do seu círculo social, onde se sente vulnerável e fragilizado. O grupo, mesmo que atue contra alguma crença pessoal,  representa uma garantia de força, homogeneidade e fatores comuns.
Isso pode acontecer portanto em circunstâncias variadas. Em times de futebol que disputam campeonatos, por exemplo. Os opositores serão rechaçados pelo grupo, possivelmente com agressões verbais ou até fisicas. Na escola manifesta-se através do bullyng, onde uma criança ou adolescente é escolhido para canalizar essa necessidade de poder. No dia a dia, em circunstâncias diversas, o racismo pode se manifestar diante da mesma necessidade de supremacia e a agressão pode ser direcionada a qualquer diferença existente: aparência, defeito físico, cor da pele, idade ou sexo.
Na civilização anterior ao cristianismo, egípcios, gregos ou romanos exerciam esse poder sobre o semelhante escravizando os povos vencidos nas guerras, independente da cor ou raça. Na Idade Média a diferença tornou-se evidente através da força política da igreja, que servia de justificativa para submeter outros povos ou avaliar a inferioridade de alguém.
A questão racial apenas se tornou o enfoque da superioridade ou inferioridade no século XIX, quando o conde de Gabineau publicou o "Essai sur l'inégalité des races humaines" ou Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas...onde se afirmava a questão da superioridade ariana, que seria a "senhora natural"das demais.
Em 1889 um inglês chamado Houston Stewart Chamberlain publicou na Alemanha "Os fundamentos do Século XIX", onde retomou o mito da raça ariana.  A influência dessa obra sobre o povo alemão foi grande e décadas depois daria origem a terceira maior demonstração de racismo já vivenciada em tempos modernos, através do nazismo de Hitler. O preconceito contra os negros foi mais amplo e óbvio, mas outro preconceito, contra a mulher, foi o mais duradouro da história da civilização humana.

É importante observar que o racismo é de certa forma inerente e oportunista, embora seja cultivado e dimensionado conforme interesses políticos. Ou seja, ele aparece e acontece estimulado não por alguma aversão ou real crença de superioridade, mas motivado por fatores de insegurança ou briga pelo poder dos grupos mais fortalecidos política e economicamente, em várias instâncias, da pequena comunidade a dimensão mundial!
Por isso não existe uma raça específica, por exemplo, que seja exclusiva do racismo ou preconceito. Pode ser a raça negra - que históricamente teve suas etnias dominadas e escravizadas por motivos econômicos, mas pode ser também outra raça qualquer, que esteja no "caminho"de algum objetivo de poder.

Talvez o maior preconceito da humanidade, que existiu por séculos e séculos e ainda persiste, seja o preconceito contra a mulher ou a tentativa de menosprezo pela "raça  feminina"...Além de ser pressionada a ser encarada como "ser inferior" em várias fases históricas, inclusive moderna, a mulher até hoje sofre desvantagens diante necessidade histórica do homem de predominar no poder. Esse preconceito não se limita a piadas (tipo "só podia ser mulher", ou "lugar de mulher é no tanque de roupa"ou "é loira"...) mas segue em  aspectos profissionais ( salários mais baixos) e avança para sérias ações de violação sexual, espancamento e assassinatos.
A mulher seria, portanto, o ser que maior pressão sofre do racismo e do preconceito. E sofre isso da própria mulher: assim como os nordestinos foram objeto da frustração na disputa política, também a figura feminina que ousou vencer e assumir o  mais alto cargo da Nação, a presidência da República, foi achacada nos sites de relacionamento como Orkut, Facebook , Twitter e MSN. Em um deles uma adolescente de 16 anos publicou o seguinte em uma discussão: "Calma gente, Tancredo morreu logo depois da eleição"....
A impiedade, a grosseria, a atitude criminosa no mundo virtual, ainda que passiva na vida real, mostram que a evolução humana é muito relativa, pois o pensamento primitivo ainda sobrevive e convive com a tecnologia que rompe as barreiras da comunicação, mas não impede a precariedade do relacionamento humano.
Crimes de ódio, no mundo virtual, são no entanto muito mais evidentes e óbvios! Por esse  motivo a sociedade se organiza para policiar e punir os infratores. E isso será fácil, mas ao mesmo tempo extremamente confuso, porque racismo e preconceito são interpretados de maneira muito resumida.
Um exemplo: em uma notícia publicada por site na internet, comentava-se as providencias legais contra a estudante de Direito que participava do debate racista contra os nordestinos no Twitter; logo abaixo, na participação dos leitores, alguém  escreveu: "Esta (sic) idiota quer aparecer pelada em alguma revista e como não tem capacidade de chamar a atenção usou esse tipo de artifício(...).
Seremos todos racistas e preconceituosos, a ponto de realizar comentários racistas para criticar uma ação racista? Seria bom discutir essa questão de maneira ampla, mostrando que preconceito e racismo são um crime muito mais comum do que assumimos reconhecer! (Mirna Monteiro)


1 comment:

  1. Yolanda Bresser5:12 AM

    Excelente!!!!!

    ReplyDelete

Comente os textos ou adicione suas impressões sobre os temas abordados. Clique duas vezes para garantir a postagem.