Tuesday, August 08, 2006

A MORDIDA DA BOCCA DELLA VERITÀ


NA MENTIRA DE CADA DIA...


Ah, a Mentira! Tão velha quanto a humanidade, mas somente agora está ganhando o "status" de inimiga número "1" da Paz e preservação da vida.
Por que? Devido ao exagêro de sua presença. Veja bem, nos velhos tempos ela era discreta, limitada à circunstâncias que envolviam a disputa pelo poder e por riquezas, mas o mundo era recortado por imensas distâncias e culturas
Agora, além de integrar situações de grandes disputas, ela virou rotina. Hoje em dia, os mentirosos ganharam espaço, divididos, é claro, em diferentes categorias...contingência dos novos tempos do apocalipse!

Dizem que a mentira é "inerente" ao ser humano. Alguns argumentam que é um artíficio da sobrevivência, já que a absoluta sinceridade pode ser chocante em um mundo onde a disputa por espaço e poder é acirrada e refratária ao tempo. Ou seja, acontece nos dias de hoje com as mesmas caraterísticas e motivos que acontecia na Idade das Trevas!

Que constatação mais desagradável!

A mentira é companheira da hipocrisia, da desonestidade, da ausência de ética e de respeito e da falta de consciência humana. Reveste-se sempre de ares de superioridade, em contraste com sua extrema covardia. Mas procura compensar seus limites com extrema criatividade.

E como faz estragos! Principalmente ao lado da hipocrisia!

"há quem condene homens à morte por crimes que nem sequer considera transgressões. Quando jovem, vi um gentil-homem apresentar ao povo, com uma mão, versos de notável beleza e licenciosidade, e com outra, a mais belicosa reforma teológica de que o mundo, de há muito àquela parte, teve notícia. Assim vão os homens" , escreveu Michel de Montaigne, em "Ensaios da Vaidade".

Pois é. Mas mentir não é tão fácil. Friedrich Nietzsche insistia nesse ponto: "Porque é que, na maior parte das vezes, os homens na vida quotidiana dizem a verdade? Certamente, não porque um deus proibiu mentir. Mas sim, em primeiro lugar, porque é mais cómodo, pois a mentira exige invenção, dissimulação e memória. Por isso Swift diz: «Quem conta uma mentira raramente se apercebe do pesado fardo que toma sobre si; é que, para manter uma mentira, tem de inventar outras vinte»

A mentira vence as barreiras do tempo e do espaço, apesar de todas as pessoas afirmarem que não compactuam com ela. Será mesmo? Se assim é, por que ela persiste?

"Gosto da verdade. Acredito que a humanidade precisa dela; mas precisa ainda mais da mentira que a lisonjeia, a consola, lhe dá esperanças infinitas. Sem a mentira, a humanidade pereceria de desespero e de tédio"... opinião de Anatole France.


Opinião, aliás, equivocada! A mentira até podia ser suportada quando ela era apenas uma suposição: não havia meios de comprová-la a tempo de suprimi-la das grandes questões da humanidade. Agora, no entanto, o mundo conta com meios rápidos de descobrir a mentira, avaliar a sua potência enganadora, calcular os seus estragos...e rezar para que sejam minorados. É que apesar de tudo, ainda há uma grande dificuldade de evitar os estragos da mentira, quando ela envolve altos interesses.

Talvez o mundo possa adotar a antiga e interessante "Bocca della Verità".

Esculpida em pedra, nos tempos medievais, a "Bocca della Verità" ou boca da verdade, fica em Santa Maria in Cosmedim, na Itália. É famosa e sua figura exibe uma boca aberta.
Diz a lenda que o mentiroso que colocar a mão na abertura levará uma mordida.

Você colocaria a sua mão na "Bocca della Verità"?...
Ou a "Bocca della Verità" morderia a própria língua, por séculos e séculos a fio?

Bem, de qualquer maneira, acontece hoje um fenômeno interessante, que deixaria os nossos pensadores dos velhos tempos das mentiras, no mínimo confusos. Trata-se da supremacia dos antigos companheiros da mentira, que antes eram coadjuvantes e agora, nos novos tempos, tornam-se as estrelas, ofuscando a dita cuja.

Falamos da hipocrisia - hoje extrema - da ausência de ética - descaradamente presente como se fosse um elemento ficcional - e da falta de respeito e consciência humana, que tornou-se tão aberrante que hoje é simplesmente acintosa.
Esses elementos tornaram a mentira, que antes era uma estrela, em uma "ponta" na encenação, necessária apenas para florear as intenções.

Agora assistimos à uma nova fase da mentira. Aquela em que pouco importa, aos que se utilizam dela, que isso seja óbvio.
Pela primeira vez, a mentira vive uma fase nova e de resultados imprevisíveis! (Mirna Monteiro)

LEIA TAMBÉM: http://artemirna.blogspot.com.br/2010/09/mentira-de-cada-dia.html
                            http://artemirna.blogspot.com.br/2011/01/onde-esta-verdade.html 

4 comments:

  1. Li o texto com grande entusiasmo, mas não sei se consigo chegar à uma conclusão absoluta quanto à isso. O que posso dizer é que, no momento, pequenas mentiras são essenciais para uma vivência harmoniosa entre pessoas.
    Um exemplo:
    "meu amor, você está me achando gorda?"
    "que isso, meu amor... você está tão linda..."
    As vezes, em casos como esse, é preciso que haja uma mentirinha para que outras pessoas possam gozar de um pouco de "felicidade". O ideal seria que a pessoa pudesse ficar feliz com a verdade: "meu amor... você realmente está um pouco mais gorda sim, mas isso pode mudar, com algum esforço de nossa parte." Simples assim!!! Mas daí chega o tal do orgulho, a tal da vaidade e outros tantos tais que fazem uma boa resposta ser mal interpretada...
    Outro fator importante é que, muitas vezes, algumas pessoas usam a verdade para massacrar outras pessoas, e isso não pode acontecer. A verdade não tem a obrigação de ser bonita, mas também não pode ser usada como uma arma.
    "Sim! Você está gorda sim! Se não fosse essa sua gula maldita e essa sua má vontade em se controlar, você ainda estaria magra e bonita, mas agora eu estou casado com isso!!!"
    É... acho que o fim da mentira está diretamente atralado à modificação qualitativa da mentalidade humana...


    Agora, antes de concluir, uma resalva:
    "Ou seja, acontece nos dias de hoje com as mesmas caraterísticas e motivos que acontecia na Idade das Trevas!"
    Os tempos medievais são vítimas de muitos preconceitos, gerados, muitas vezes, por mentiras e, principalmente, por equivocados pontos de vista também. A mentira sempre existiu em todos os tempos, estejam as pessoas conscientes de que mentem ou não. A antiguidade classica nunca foi um mar de rosas e a época medieval também possuiu grandes avanços e belezas. Cuidado, pois, com certos "rótulos", eles são tão perigosos e injustos...

    ReplyDelete
  2. A mentira sempre é perigosa,mesmo a mentira piedosa. Achei este parágrafo maravilhoso: A mentira vence as barreiras do tempo e do espaço, apesar de todas as pessoas afirmarem que não compactuam com ela. Será mesmo? Se assim é, por que ela persiste?
    Sim,por que persiste? Nunca estaremos prontos para a verdade. Belo texto,fiquei fã deste talento.

    ReplyDelete
  3. Orlando Bial1:25 PM

    A mentira jamais será vencida....

    ReplyDelete
  4. Anonymous10:42 AM

    Gostei das descrições dos tipos de mentira,a diferença está mesmo na intenção e no resultado,se construtivo ou destruidor.Parabéns,amei.

    ReplyDelete

Comente os textos ou adicione suas impressões sobre os temas abordados. Clique duas vezes para garantir a postagem.